O Prazer de Deus na Obediência

Por John Piper. Tradução por Flavia Martins dos Santos.
Uma Parte da série The Pleasures of God

1 Samuel 15:22-23
“Acaso tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, quanto em que se obedeça à Sua palavra?
Olhe, a obediência é melhor do que o sacrifício, e a submissão são melhores do que a gordura dos carneiros.
Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria.
Assim como você rejeitou a palavra do Senhor, Ele o rejeitou como rei.”

Nas últimas quatro semanas temos enfatizado a boa nova que Deus é uma nascente de água na montanha e não um bebedouro. A boa nova é que a totalidade do transbordamento de DEUS é magnífica e NOSSOS anseios são satisfeitos em ações simples de sede e saciamento.

A melhor notícia em todo o Mundo

Quando colocamos de lado todos os refrigerantes, bebidas gaseificadas e bebidas engarrafadas do mundo e nos debruçamos sobre uma nascente de água na montanha da água de vida de Deus, nós O honramos, O glorificamos e O louvamos como a última fonte de felicidade. E em todo ato de louvor a Ele nós nos satisfazemos, pois essa é a água que devemos beber para vivermos. Essa é a melhor notícia em todo o mundo — que Deus é o tipo de Deus o qual fervor para glorificar o Seu nome vem da expressão mais completa em um ato que satisfaz aos desejos de meu coração. Isso quer dizer que quando estiver com sede, mais desesperado e quando mais precisar, eu posso encorajar a minha alma não apenas com a verdade que existe em um impulso misericordioso no coração de Deus, mas também mas também com a verdade que o recurso e o poder daquele impulso é o fervor de Deus para agir em seu próprio nome.

 

Posso orar com os salmistas, "Por amor do seu nome, Senhor, perdoa o meu pecado que é tão grande” (25:11). "Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador, para a glória de seu nome, e livra-nos” (79:9). "por amor do teu nome, conduz-me e guia-me” (31:3).

Vimos que precisamente porque Deus ama a glória de seu próprio nome, Ele também tem prazer naqueles que tem esperança em seu amor e naqueles que expressam a sua esperança em oração. Há duas semanas dissemos que quando se tem esperança em Deus, você glorifica Deus como a fonte da alegria profunda e duradoura. A semana passada nós dissemos que quando se reza corretamente, essa reza simplesmente fornece a expressão da esperança da glorificação de Deus. E hoje vamos dar um passo à frente e dizer que a obediência a Deus faz com que a esperança da glorificação de Deus se torne visível e prove que ela é real em nossas vidas.

A felicidade de Deus na Obediência

Nosso texto é 1 Samuel 15:22, "Caso tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e em sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra?" A resposta é claramente NÃO. O Senhor se alegra mais na obediência do que na realização de cerimônias de adoração sem isso.

Existem duas perguntas que quero tentar responder com vocês esta manhã.

1. Por que Deus se alegra na obediência?

2. E são isso boas notícias? Elas são notícias boas de escutar que o que realmente agrada a Deus é a obediência, ou isso é apenas uma responsabilidade desencorajadora?

O ajuste de 1 Samuel 15:22

Antes de focarmos nessas duas perguntas, vamos ter certeza que temos os ajustes corretos em nossas mentes.

A derrota e a sentença contra Amaleque

Quando Israelitas saíram do Egito e passaram pela selva, os amalequitas os atacaram. Nós lemos sobre isso no Êxodo 17:8–16. Deus deu a vitória aos Israelitas, mas o diabo nunca foi esquecido. Em Deuteronômio 25:17–19 Deus disse,

Lembre-se do que os amalequitas lhes fizeram no caminho, quando vocês saíam do Egito, como eles o atacaram no caminho, quando vocês estavam cansados e exaustos,e eliminaram todos que ficaram para trás; e eles não temeram a Deus. Assim quando o Senhor seu Deus der a vocês o descanso de todos os seus inimigos ao seu redor, na terra que Ele lhes dá para dela tomarem posse como herança, vocês farão que os amalequitas sejam esquecidos debaixo do céu. Não se esqueçam!

A participação de Saul na execução da sentença

Finalmente a iniqüidade dos amalequitas está complete e o Senhor comanda Saul, o primeiro rei de Israel, para executar a sentença contra os amalequitas. O comando é dado em 1 Samuel 15:2–3,

Assim diz o Senhor dos exércitos, "Castigarei os amalequitas pelo que fizeram a Israel, atacando-os quando saíam do Egito. Agora vão, ataquem os amalequitas e consagrem ao Senhor para destruir tudo o que lhes pertence. Não os poupe; matem homens e mulheres, crianças e recém nascidos, bois, ovelhas, camelos e jumentos."

Então Saul juntou o seu exército e foi em direção à cidade de Amaleque. Ele avisou os queneus para que partissem se quisesse poupar as suas vidas (v. 6). E depois ele destruiu os amalequitas de Havilá até Sur, a leste do Egito.

A desobediência fatal de Saul

Mas o verso 9 descreve a desobediência fatal de Saul.

Mas Saul e as pessoas pouparam Agague, e as melhores ovelhas e os melhores touros e os vitelos, e cordeiros, e de todos que eram bons, e não os destruiriam completamente; tudo aquilo que era desprezado e sem valor foram totalmente destruído.

O Senhor viu essa desobediência e se arrependeu de ter tornado Saul rei (v. 11). Apenas uma palavra breve para expressar o seu “arrependimento” divino.

Uma breve palavra sobre o “Arrependimento” divino

Ele diz no verso 29 desse capítulo que "a Glória de Israel não mentirá ou se arrependerá." Eu levarei isso em consideração para significar que o arrependimento de Deus (e.g., no v. 11) não é como o arrependimento do homem. Na realidade, esse arrependimento é tão diferente que de certa maneira não é um arrependimento real, como dito no verso 29. Não é baseado em ignorância ou engano. O arrependimento de Deus é a mudança de direção de seu coração, mas não aquele que foi imprevisto. Deus não se arrepende porque Ele é pego desprevenido por alguns eventos inesperados. Isso sem dúvida seria como um homem. Mas para a Glória de Israel não é um homem que Ele deve arrepender-se. Quando a bíblia diz que Deus se arrepende significa que Ele expressa uma atitude diferente sobre algo que Ele expressou anteriormente, não porque algum evento ocorreu inesperadamente, mas porque os eventos inesperados tornam uma atitude diferente mais propícia para expressar agora o que ocorreu, do que teria expressado anteriormente

O confronto de Samuel com Saul

Samuel está zangado com a mudança de atitude de Deus em relação a Saul e ele implora para Deus a noite inteira (v. 11, como em 12:23). O resultado de sua noite de oração é uma resolução firme de fazer aquilo que Deus. Ele levanta cedo pela manhã e descobre que Saul foi para Carmel (v. 12), levanta um monumento para si, e vai em direção à Gilgal onde ele foi aclamado rei pela primeira vez. (11:15).

Então Samuel vai encontrar Saul, e (no v. 13) Saul diz, "Que você seja abençoado pelo Senhor; eu fiz aquilo que me foi comandado pelo Senhor." Samuel diz (no v. 14) que o som do balir de ovelhas e o mugido dos touros significam a real destruição feita por Saul da maneira que Deus disse.

Depois (no v. 15) Saul culpa as pessoas: “Elas os trouxeram de Amaleque; para que as pessoas poupassem as melhores ovelhas." Mas nada que Saul diga agora funcionará. Ele desobedeceu ao comando do Senhor e ele finalmente admitiu tal coisa no verso 24: “Eu pequei, pois transgredi o comando do Senhor e suas palavras."

Agora a nossa primeira pergunta é: Por que Deus fica tão desgostoso com a desobediência? Ou positivamente, por que Deus fica tão feliz com a obediência? Por que Deus odeia a desobediência?

Eu vejo pelo menos cinco razões para essa estória de que Deus odeia a desobediência e fica feliz com a obediência. Mencionarei as mesmas em ordem da menos séria até a mais séria, a meu ver.

1. A desobediência mostra como o medo é colocado de maneira errada

2. Note no verso 24: "Saul diz a Samuel, 'Eu pequei; pelo fato de ter transgredido o comando de Deus e suas palavras, pois tive medo das pessoas e ter obedecido à voz deles. '" Por que Saul obedeceu às pessoas ao invés de obedecer à Deus? Ele temeu as conseqüências da obediência mais do que ele temeu as conseqüências divinas do pecado. Ele temeu o desgosto das pessoas mais do que ele temeu o desgosto de Deus. E isso é um grande insulto a Deus. Samuel disse duas vezes a Saul e as pessoas em 12:14 e 24, " Tema ao Senhor, e sirva-o com toda a fé de seu coração." Mas, agora o próprio líder temeu ao homem e se distanciou de seguir a Deus (1 Samuel 15:11).

2. A desobediência mostra como o prazer é colocado em lugar errado Saul tenta convencer Samuel que foi uma nobre intenção que o conduziu a desobedecer a Deus e manter as melhores ovelhas e os melhores touros vivos (v. 21). Ele disse que eles queriam sacrificá-los para o Senhor em Gilgal, mas o Senhor tinha dado a Samuel um sinal do real motivo que conduziu Saul e as pessoas. Nós podemos verificar tal fato em suas palavras no verso 19:

Por que depois você obedeceu à voz do senhor? Por que mergulhou na presa, e fez o que era errado aos olhos de Deus?

Eles mergulharam na presa como pássaros famintos mergulham para encher as suas barrigas. Essa palavra, "mergulham," é utilizada em 14:32 para descrever como as pessoas mergulham na presa quando os Filisteus foram derrotados. Ele diz, "As pessoas sobrevoaram a presa, e levaram as ovelhas ou touros e os novilhos, e os reviraram no chão; e as pessoas os comeram com sangue."

Quando Samuel diz em 15:19, "Por que vocês mergulharam na presa, e fizeram o que era errado aos olhos do Senhor? " ele quer dizer que as pessoas foram conduzidas por um desejo soberbo dos prazeres de toda aquela carne. (Lembre-se, aqueles que se sacrificarem, comerão da carne.) O prazer deles foi colocado em lugar errado. Deveria ter sido Deus. Mas eles sentiram mais prazer na carne da ovelha e do touro do que eles sentiram no sorriso e n o companheirismo de Deus. Isto é certamente, um grande insulto a Deus, e assim muito desprazeroso a seu ver.

3. A desobediência mostra como o elogio pode ser colocado em lugar errado

Quando Saul derrotou os amalequitas, a primeira coisa que ele fez foi construir um monumento para si. Verso 12: “Foi dito a Samuel, Saul veio a Carmel e contemplou, ele construiu um monumento para si." Evidentemente Saul estava mais interessado em ter seu nome para si do que em fazer o nome de Deus através da obediência cuidadosa de sua palavra. Ele colocou em lugar errado o elogio de Deus para si próprio.

Esse pecado torna-se até mesmo pior quando se lê os versos 17–18:

E Samuel disse, "Embora pequeno aos seus próprios olhos, você não se tornou o líder das tribos de Israel? O Senhor o ungiu como rei sobre Israel. E o Senhor o enviou numa missão, e disse, vá, e destrua completamente os pecadores, os amalequitas, e lute contra eles até que eles sejam eliminados. Por que você não obedeceu à voz do Senhor?"

Retornando a 9:21 Saul pareceu surpreso que Deus o escolhera para ser rei de Israel quando ele era da menor tribo, a tribo de Benjamim, e da menor das famílias de sua tribo. E ele tinha que se surpreender! Se ele quisesse honra, ele deveria ter se surpreendido e se satisfeito com a honra que Deus havia dado a ele. Esse é o ponto de vista de Samuel no verso 17— por que você está sendo guiado pela luxúria humana quando Deus lhe deu o privilégio glorioso de ser a cabeça das tribos de Israel e o rei ungido das pessoas de Deus?

Mas Saul não estava satisfeito com a glória de Deus e a honra de ter sido o seu rei escolhido. Ele queria a sua própria glória e o seu próprio louvor. E o caminho submisso da obediência não oferece esse tipo de louvor e glória. E por isso ele fez coisas de sua própria maneira.

4. A desobediência é como o pecado da adivinhação

Agora estamos no campo textual explícito. Essa é a real razão dada por Samuel para a desobediência ser desprezada por Deus, no verso 23.

(22b) Veja, obedecer é melhor do o sacrifício, e escutar é melhor do que os carneiros, (23) a rebelião é o pecado da adivinhação. Deus colocou adivinhação na mesma categoria que as coisas horríveis que Ele detesta em Deuteronômio 18:10.

Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou filha; que pratique adivinhação, ou se dedique à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria, ou faca encantamentos; que seja médium, consulte os espíritos ou consulte os mortos. O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas.

Por que é a rebelião e a desobediência o pecado da adivinhação? A adivinhação está procurando saber o que fazer de maneira que ignora a palavra e o conselho de Deus. E isso é exatamente nisto que a desobediência se baseia. Deus diz uma coisa, e nós dizemos, acho que vou consultar outra fonte de saber – nominado de? Eu mesmo! A desobediência em relação à palavra de Deus coloca o meu próprio saber no lugar de Deus e assim insulto a Deus como a única e confiável fonte de sabedoria.

5. A desobediência é idolatria

Isso é o que Samuel diz na última metade do verso 23:

A rebelião é o pecado da adivinhação, e a teimosia é como injustiça e idolatria.

Quando Deus diz alguma coisa e nós consultamos o mágico de nossa própria sabedoria e depois com teimosia escolhemos seguir nosso próprio caminho, somos idolatras. Nós não apenas escolhemos consultar a nós mesmos, como uma alternativa a Deus, e assim tornamos culpados de adivinhação, mas vamos, além disso, e na realidade sobrepomos a direção de nossas mentes em relação a direção de Deus e nos tornamos culpados de idolatria. E o pior de tudo, o ídolo somos nós mesmos.

Então se torna a razão pela qual Deus estará insatisfeito com a desobediência, pois em todos os pontos é um ataque a sua glória.

  • Isso coloca o medo ao homem no lugar do medo a Deus.
  • Isso consulta a sabedoria própria ao invés de se satisfazer com a vontade de Deus.
  • Isso eleva o prazer das coisas acima do prazer em Deus.
  • Isso procura por um nome próprio ao invés do nome de Deus.

 

E ela estabelece mais valor nos ditados próprios do que os ditados de Deus e assim tenta destronar Deus fornecendo lealdade ao ídolo da vontade humana.

Mas obediência, sendo exatamente o oposto, em todas essas coisas dá o trono a Deus e o honra. E assim Deus tem prazer na obediência.

Agora retornamos a segunda pergunta que levantamos no início: Isso é boa notícia? É boa notícia aprender que Deus tem prazer na obediência, ou isso é apenas outra obrigação?

É uma boa notícia que Deus tem prazer na obediência? Acho que é boa notícia. E existem pelo menos seis razões pelas quais acredito nisto. Apenas temos tempo para mencioná-las brevemente.

1. Isso significa que Deus é louvável e confiável

O prazer de Deus na obediência é boa notícia, pois significa que Ele é louvável e confiável. Se Ele não tivesse prazer na obediência, Ele seria uma contradição viva: amando a sua glória acima de todas as coisas e ainda assim não satisfeitos com seus atos que tornam a sua glória conhecida. Ele seria hipócrita e falso. A sua beleza seria banida e com isso todo o seu prazer! E Ele seria inconfiável, pois não se pode acreditar em um Deus que os valores são tão inconstantes que Ele se enaltece em um minuto e concorda com insultos logo a seguir.

2. Ela garante que a Glória de Deus seja espalhada

O prazer de Deus na obediência é uma boa notícia, pois ela garante a promessa que algum dia a glória de Deus será realmente complete na terra da mesma maneira que as águas cobrem a o oceano. Se Deus fosse indiferente à desobediência, não haveria certeza que a era por vir estaria sem qualquer atitude de desonra de Deus. Mas pelo fato Dele odiar a desobediência e amor à obediência podemos ter certeza que nosso desejo por um mundo cheio da Glória de Deus certamente chegará.

3. Mostra que a graça de Deus é um Poder Glorioso

O prazer de Deus na obediência é boa notícia, pois isso mostra que a graça de Deus é um poder glorioso e não apenas uma tolerância insignificante do pecado. A glória da graça de Deus é vista não apenas no fato de Deus observar os pecados dos que crêem, mas também pelo fato de gradualmente, finalmente e com vitória erradicar esses pecados. Se Deus não tivesse prazer na obediência, a graça soberana poderia nunca ser vista no seu poder de conquistar o pecado.

4. Os comandos de Deus não são muito severos

O prazer de Deus na obediência é boa notícia, pois seus comandos não são muito severos. Eles são tão difíceis de serem obedecidos como a sua glória é difícil de ser apreciada e suas promessas são difíceis de serem acreditadas. Deuteronômio 30:11 diz, "Esse comando o qual lhes é dado hoje não é muito difícil para vocês." E 1 João 5:3 diz, "Esse é o amor de Deus, que nós mantenhamos os seus comandos. E Seus comandos não são penosos."

5. Tudo o que Deus nos comanda é para o nosso próprio bem

O prazer de Deus na obediência é boa notícia, pois tudo que Deus comanda é para o nosso próprio bem. Então Deus é realmente prazeroso quando ele tem prazer em nossa obediência, que é a nossa mais profunda e permanente alegria. Deuteronômio 10:12–13 diz,

E agora, ó Israel, que é que o Senhor lhe pede, e que tema o Senhor teu Deus, que ande em Seus caminhos, que o ame, e que sirva o senhor teu Deus com todo o seu coração e toda a sua alma, e mantenha os seus comandos e seus estatutos de Senhor os quais eu comando hoje pelo seu próprio bem.

6. A obediência que Deus ama é a obediência da fé

E finalmente o prazer de Deus é boa notícia, pois a obediência que Ele ama é a obediência da fé. A fé significa manter a sua própria esperança na misericórdia de Deus. A misericórdia significa que nossa obediência não precisa ser perfeita; ela apenas precisa ser penitente. "Se confessarem os seus pecados, Ele é fiel e justo e perdoará seus pecados e o purificará de toda a maldade” (1 João 1:9).

Deus ainda é a fonte da montanha e não um cocho. A obediência não é para passar de mão em mão para satisfazer as Suas necessidades. A obediência são os esforços irreprimíveis de “relações públicas” daqueles que não experimentaram e não perceberam que o Senhor é bom.

ImprimirEmail